Entendendo um pouco mais sobre CO2 em aquários plantados

No aquário, os peixes, micro-organismos e alguns outros seres vivos utilizam o oxigênio presente na água para alimentar suas células e assim sobreviver. Com isso liberam o CO2 (Dióxido de carbono) através da respiração. Esse dióxido de carbono liberado é utilizado durante o processo de fotossíntese pelas algas e plantas aquáticas, mantendo um equilíbrio no sistema, pois através da fotossíntese é liberada novamente o oxigênio.

Quando não existe luz, como no período noturno, as plantas invertem esse processo, consumindo oxigênio assim como os peixes e outros organismos e liberando CO2, fazendo com que o oxigênio diminua. Devido a esse aumento de CO2 e consequentemente a sua mistura com a água, obtemos o ácido carbônico conforme abaixo:

H20 + CO2 = H2C03

Que significa: água + dióxido de carbono = ácido carbônico.

 

O ácido carbônico, como o nome já indica tem uma natureza ácida, contribuindo para uma queda no pH. Diante disso, no período diurno, onde as plantas consomem o CO2, consequentemente diminuirá o acido carbônico fazendo com que aumente o ph. A noite acontece o inverso, as plantas também irão consumir o oxigênio e liberar mais CO2 fazendo com que o pH diminua. Diante disso, teremos uma oscilação de pH, que se for em excesso vai prejudicar a vinda no ambiente aquático.

Para controlar a concentração de CO2, basta aumentar a injeção de dióxido de carbono no período diurno e diminuí-la no período noturno. Com isso o pH tende a estabilizar.  Você não terá problemas se sua injeção de CO2 for através de um cilindro específico com controlador de bolhas. O problema maior será quando seu CO2 for artesanal (caseiro), onde não conseguimos controlar a injeção. Para resolver esse problema, eu aconselharia aumentar o movimento da superfície da água, principalmente a noite para que ocorra uma troca gasosa com a superfície. Isso pode ser feito instalando uma bomba bem próxima a superfície e ligando ela a um timer para que o sistema ative após as luzes se apagarem. Essa troca gasosa pode ser definida como sendo a liberação do CO2 e a incorporação do oxigênio atmosférico dissolvido na água.

A forma mais comum de medir o CO2 é em ppm. O valor próximo do ideal sem prejudicar os seres vivos é em torno de 21 a 35 ppm. Acima de 35 ppm não é benéfico para as plantas e poderá ser lesivo aos peixes e outros organismos.

Para diminuir essa concentração alem de parar de injetar CO2 externamente, pode-se ocasionar a movimentação da superfície da água como citado acima, e verificar a população do aquário. Se for elevada deverá reduzir e não deixar de fazer uma troca parcial de água para que esses níveis sejam eliminados ou renovados.

About these ads
por aquaset

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s